terça-feira, 5 de junho de 2018

Crie uma caixa de memórias para cada criança

Imagem Minbebis



Adora guardar todas as lembranças, roupas, brinquedos e desenhos dos seus filhos? Este post é para sí :)

O importante não é a quantidade de coisas guardadas no sótão! O importante é a utilidade que damos às coisas importantes que estão guardadas! Como fazer isso? Crie uma caixa de memórias para cada filho, com as lembranças que representam os momentos mais importantes da sua vida.

Dicas para começar a criar uma caixa de memórias:

1. Visualizar
Imagine que quer fazer uma surpresa ao seu filho no seu 20º aniversário, e vai oferecer-lhe as lembranças mais importantes da sua infância. Como seria essa prenda? Uma caixa grande de cartão com um laço vermelho, onde está a primeira roupa, os sapatos que aprendeu a andar, o peluche favorito. Ou a prenda seria 10 caixas de brinquedos, 15 caixas de roupas, 5 caixas de desenhos e rabiscos, e 10 caixas com todos os livros escolares?
Se escolheu a primeira opção consegue visualizar o rosto de felicidade do seu filho? Uma única caixa, cheia de momentos felizes!
Se escolheu a segunda opção, consegue visualizar o rosto de pânico do seu filho? O que fará com tantas coisas? Como saberá onde estão as suas lembranças favoritas?

2. Objetos que contam histórias
Guarde objetos que contam histórias e representam momentos que gostaria de um dia contar ou mostrar ao seu filho. Quanto menos guardar, mais especial será a caixa de memórias. Não deve guardar objetos que lembrem momentos tristes, objetos replicados, ou sem qualquer significado. Tal como a Marie Kondo defende "Guarde apenas as coisas que falam ao seu coração"

3. Definir um limite
O limite pode ser uma caixa, um armário ou um baú. Quando o limite fica definido desde o início, é mais fácil decidir o que vai guardar. Se tem objetos grandes demais, pode optar por tirar uma foto e guardar a foto com uma legenda.  Pode utilizar uma caixa grande e depois utilizar várias caixas pequenas dentro para separar as lembranças escolares, os brinquedos, desenhos, roupas, etc...  Algumas lembranças que não cabem na caixa, podem ser expostas numa estante ou moldura durante algum tempo. Mas não tem que guardar tudo, o seu filho não terá tempo para ver tudo.

10 sugestões do que pode guardar:
1. A primeira roupa que vestiu
2. Os sapatos que aprendeu a andar
3. A última chucha 
4. O peluche favorito
5. O avental que a avó custurou
6. O diário que os pais fizeram durante a gravidez
7. O livro que adorava folhear e morder
8. A fralda de pano que utilizava para adormecer
9. O bilhete da primeira viagem de avião
10. O caderno onde escreveu pela primeira vez

Este texto foi inicialmente publicado no site  Pumkins.pt

 

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

A teoria Sueca de Destralhar antes de Morrer

Imagem relacionada
Imagem Pinterest

A Sueca Margareta Magnusson, autora do livro “The Gentle Art of Swedish Death Cleaning” explica a técnica de destralhar antes de morrer, no seu mais recente livro que será vendido na amazon em janeiro de 2018, mas que já está a agitar o mundo da organização.

A ideia é retirar de casa todas as coisas que não são necessárias e deixar a casa organizada  para que a família e amigos não tenham de "lidar com as tralhas" quando a pessoa morrer, porque " Não é justo para as outras pessoas."

5 Dicas da Margareta Magnusson: 

1. Não tenha coisas que você não quer, porque alguém vai ter que tomar conta disso no futuro!

2. Tenha uma caixa em que guarda as coisas que devem ir para o lixo, mas não esqueça de colocar uma etiqueta com essa informação. 

3. É bom estar sempre preparado para o "Death Cleaning", porque você não sabe quando pode morrer. 

4. Não é justo para as outras pessoas.

5. Para quê ter tantas coisas, se quando morrer não poderá levar consigo?


A autora sugere que a idade ideal é dos 80 aos 100 anos, mas também pode ser um processo que se faz suavemente em qualquer idade.

Conheça a Margareta Magnusson neste vídeo.

sexta-feira, 24 de março de 2017

20 coisas dos seus filhos para destralhar já!



Destralhar é retirar da sua casa as tralhas que não precisa, objetos sem utilidade, coisas que apenas ocupam espaço. Destralhar é dar destaque ao que é mesmo importante, porque no futuro os seus filhos querem ter as lembranças que marcaram a sua infância e não um sótão a abarrotar de coisas sem história.

20 coisas dos seus filhos para destralhar em 2017: 

1. Brinquedos estragados, que por motivo de segurança foram guardados. E ainda continuam guardados

2. Revistas/livros sobre bebés, que talvez não precise porque afinal os seus filhos já são bem crescidos. 

3. Roupas de cama para berço, quando já não existe berço na sua casa.

4. Equipamento de futebol / ballet, de quando os seus filhos praticavam a modalidade, há 5 anos atrás. 

5. Meias que não têm par, mas que continuam à espera do milagre do reencontro com a outra meia. 

6.  Medicamentos fora de prazo.

7.  Sapatos que nunca foram usados porque magoam os pés do seu filho.

8. Fotos no telemóvel que ficaram desfocadas, e só ocupam espaço de memória.  

9. Roupas que ficaram no fundo do armário, e nunca tiveram oportunidade de ser usadas.

10. Peluches que transformaram-se em decoração do quarto, que estão cobertos de pó, e que o seu filho nem gosta muito. 

11. Lembranças de aniversário. Aqueles sacos com gomas e doçarias que ficaram esquecidos, quando você nem gosta de dar doces aos seus filhos. 

12. Óculos de sol com as lentes riscadas, e você nem se apercebeu. 

13. Fato de banho do verão passado, que já tem o tecido bem danificado. 

14. Livros escolares desde a primária, que os seus filhos nunca terão tempo para ver tudo. 

15. Livros que nunca foram folheados, e que os seus filhos não querem ler. 

16. Cremes que foram abertos há 2 anos, mas ainda não foram terminados porque decidiu experimentar um creme diferente. 

17. Canetas e marcadores que a tinta já secou, mas que continuam bem organizados numa gaveta. 

18.  As 10 Malas da Minnie, quando agora a sua filha só gosta da Elsa da frozen. 

19. Puzzles/jogos que perderam peças e deixaram de ser utilizados. 

20.  Plasticina que endureceu há meses e ninguém se apercebeu ainda.

Este post foi inicialmente publicado em Pumkin.pt 

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Desconectar faz bem! Por It´s (not) so Simple


 A Mafalda de It´s (not) so simple! sugeriu este tema, num momento em que eu estava mesmo a precisar "desligar" do smartphone. Achei que seria um post perfeito para começar 2017 a destralhar...

"Hoje em dia, temos o mundo na ponta dos dedos. O nosso smartphone transporta-nos para os mais variados contextos numa questão de segundos: de uma compra online, para uma chamada da nossa mãe, de um email de um amigo distante para um pedido do nosso chefe e de um SMS publicitário para um vídeo que as redes sociais tornaram viral.

Estarmos permanentemente acessíveis por meios eletrónicos cria expetativas e há pessoas que esperam que estejamos sempre disponíveis para responder aos seus pedidos.

A ideia de que somos mais produtivos porque estamos sempre conectados com o que nos rodeia é uma enorme ilusão.

Constantemente ligados estamos apenas em modo “frenético”, em modo “não-me-digas-nada-que-tenho-milhões-tarefas-e-vou-tentar-fazê-las-todas-sem-conseguir-chegar-ao-fim-de-nenhuma”.

Esta conexão contínua criou em nós o medo de nos tornarmos redundantes, desnecessários, de estar a perder alguma coisa, de não estar a par de toda e qualquer novidade.

Tudo isto está a ter efeitos negativos nas nossas vidas. Sobretudo nos nossos relacionamentos, que estão a tornar-se mais frágeis e efémeros, apesar da aparente facilidade de comunicação.

Quando falamos com alguém olhando para um ecrã, estamos a dizer a essa pessoa que ela não é o mais importante naquele momento e que não tem a nossa total atenção.
Num mundo tão acelerado, é fácil esquecer que o nosso cérebro precisa de desconexão, de momentos de pausa e descanso. Precisamos de sossego, de estar só connosco próprios, com os nossos pensamentos.
Precisamos de tempo para sermos só e apenas nós.
Por isso, desconecta.

E aproveita os espaços de desconexão para olhar para dentro de ti e desfrutar do teu maravilhoso mundo interior. Só tu e aquilo que tu sentes. Sem medos!

Verás que a tua importância, o teu valor, vêm de dentro de ti e não de algo que aparece num ecrã…"


Por Mafalda, do blogue It’s (not) so simple! 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

12 Coisas a Destralhar em 2017





Destralhar é retirar da nossa casa e da nossa vida tudo o que não precisamos, o que está estragado, o que não gostamos, o que nunca utilizámos, o que dizemos sempre... um dia posso precisar, mas na realidade nunca iremos precisar! 

20 coisas a destralhar em 2016 foi o post com mais visualizações do blog, e acabou por tornar-se um lembrete mensal do que ainda faltava destralhar. Em 2017 a sugestão é a mesma, e todos os meses será relembrado no facebook O que ainda falta destralhar em 2017?

1. AMIGOS 
Podemos destralhar amigos? Sim! Quando retiramos da nossa vida as pessoas que não nos fazem sentir bem, temos mais tempo e energia para os amigos que importam mesmo.

2. LIVROS DA FACULDADE
Terminou a faculdade há 20 anos e ainda acha que um dia pode precisar de tudo o que está dentro das caixas? Esqueça! Envie tudo para a reciclagem.  

3. FOTOS EM PAPEL 
Se tem fotos repetidas, fotos que você nem ficou bem, fotos que já não tem significado, fotos de pessoas que nunca gostou. Vai mesmo guardar apenas por guardar?


4. LEMBRANÇAS DOS OUTROS
Mas afinal quem tem mesmo de lembrar-se do casamento? do baptizado dos filhos? das comunhões? dos aniversários?
Tem mesmo de guardar todas essas lembranças da vida dos outros, que você nem gosta? 

5. BRINQUEDOS PARA OS NETOS
Se é uma daquelas pessoas que guarda os brinquedos dos filhos para um dia dar aos netos... lamento informar que esse dia nunca vai chegar. Os seu netos podem até ficar com alguns brinquedos, mas garanto que não vão levar as 10 caixas que guardou no sótão.  

6. LIXO É LIXO!
Objetos estragados? Roupas com demasiado uso? Sapatos em mau estado? Livros com páginas rasgadas?  
Não dê para doação o que deve ir para o lixo! As pessoas que precisam de ajuda, querem sentir dignidade.

7. QUANTOS PRECISA MESMO?
Tem 25 tupperware, mas no dia a dia utiliza apenas 5. Quantos precisa mesmo? Então porque guarda tantos? Agora responda a mesma pergunta para as roupas, sapatos, malas, pratos, canetas, etc...

8. A SUA CASA NÃO É UM SUPERMERCADO!
Se o seu frigorífico está tão atulhado de coisas que a comida estraga-se facilmente. Se os produtos de limpeza são tantos, que alguns nunca saíram do armário. Se a despensa tem tanta coisa, que nem sabe o que está no fundo da prateleira. Precisa mesmo de começar já a destralhar!

9. LENÇÓIS & TOALHAS
Os conjuntos de lençóis já tiveram melhores dias? As fronhas estão sempre a fazer conjunto com lençóis diferentes? As toalhas estão tão usadas que perderam a cor e ganharam borboto? Então destralhe! 2017 é o ano para renovar toalhas & lençóis. 

 10. MATERIAL DESPORTIVO
A passadeira rolante que comprou há 5 anos e utilizou durante 1 semana, continua guardada? Ou pior... Está a ocupar espaço num quarto de arrumos? Tome uma decisão: recomeçar esta semana ou vender já!

 11. COMPROMISSOS
Se não está disponível para a família e amigos importantes, quando é preciso. Se não tem 10 minutos por dia apenas para si, é porque não tem vida! Destralhe compromissos!
 
 12. A PERFEIÇÃO DOS OUTROS
 A perfeição existe nas revistas, nos filmes, no facebook, no pinterest e na vida da Martha Stewart, mas não na vida real. Não compare a sua vida com a dos outros. Destralhe tudo o que lhe faz sentir frustração!


2017 é o ano de Destralhar a Casa e Organizar a Vida :)